Skip to content

café, cigarros e aborrecimento

June 22, 2008

Coffee and Cigarettes, de Jim Jarmusch, prometia uma mesa, café, cigarros e conversas sobre o vício, a vida ou mesmo sobre o nada. Roberto Benigni, Steve Buscemi, Iggy Pop, Tom Waits, Cate Blanchet, Jack White, Meg White e Bill Murray são alguns dos nomes que fazem parte do elenco.

Os dados estavam lançados: o corpo pedia cafeína e a mente reclamava boas conversas de café. O dvd começa, a meio chegam as pipocas e os bocejos. Não fosse a companhia e teria adormecido. O maior problema está nos diálogos, nas micro-histórias que não agarram, são desinteressantes e terrivelmente enfadonhas. Dermot, do blog Royale with Cheese, resume perfeitamente o maior problema do filme:

No entanto, para quem estava à espera de sequências de diálogos à maneira de Tarantino, desengane-se. É que todas as histórias são pequenos fragmentos de conversas sobre nada, em que nada se diz. Se era uma tentativa de ser engraçado, Jarmusch falhou completamente; se era um tentativa de retratar o quotidiano do café nas horas vagas, então Jarmusch deve repensar a vida que leva; se era a tentativa de vermos celebridades famosas a falar acerca dos mais rotineiros assuntos, então espero nunca vir a ser famoso; e se era a tentativa de falar sobre nada, falando sobre tudo, então o realizador conseguiu da pior maneira.

Poderia ter sido um bom filme. E eu poderia ter comprado um livro em vez deste dvd. Não me teria enganado, tenho a certeza que iria acertar.

11 Comments leave one →
  1. June 22, 2008 1:40 pm

    “se era um tentativa de retratar o quotidiano do café nas horas vagas, então Jarmusch deve repensar a vida que leva; ”

    Acho sinceramente, que é aqui que ele acerta. A maneira como a história aparece e o rumo que toma, parece-me real. A verdade é que algumas daquelas pessoas não se conhecem. Por exemplo : Iggy Pop e Tom Waits é normal que não tivessem uma conversa filosófica, até porque quando começamos a falar com alguém, falamos do que nos é comum. Neste caso falamos de café e cigarros, o que a seguir veio é o que os unia, neste caso a música.

    Mas apesar de tudo, não aconselho o filme.🙂

  2. June 22, 2008 1:44 pm

    É, concordo contigo. As conversas de café começam naturalmente por algo rotineiro e banal. Mas mesmo assim acho que Jarmusch poderia ter tornado os diálogos mais interessantes e apelativos. É chatinho, chatinho p’ra caraças!

  3. June 22, 2008 1:46 pm

    Lol, posso afirmar que a última história do filme é do piorio.

  4. June 22, 2008 1:50 pm

    Na última já estava quase-a-dormir, de olhos fechados😆

  5. June 22, 2008 2:42 pm

    Que pena. Apesar de algumas sequências não serem de facto as mais dinâmicas achei o filme delicioso e com alguns momentos impagáveis como o encontro entre o Alfred Molina e o Steve Cogan, a cena das Blanchet’s e o verdadeiro non sense man Bill Murray. Se calhar precisavas era de um cafézito antes de ver o filme, não?😉

  6. June 22, 2008 3:09 pm

    Eu acabei por comprar este filme porque ouvi falar tão bem dele que me despertou o interesse. Mas a coisa não pegou. Existe uma ou outra cena mais apetecível: Roberto Benigni, Tom Waits e Iggy Pop são os meus preferidos. Não acho piada à cena do Bill Murray😦

    Mas pronto, irei voltar a rever (daqui a uns anos) e logo verei se a minha opinião permanece a mesma😉

  7. June 23, 2008 12:32 am

    “Mas pronto, irei voltar a rever (daqui a uns anos) ”

    Lol, daqui a uns anos ?😛

  8. June 23, 2008 11:01 pm

    claro, não o pretendo (re)ver nos próximos tempos😉

  9. June 27, 2008 11:57 am

    Viva,
    Após a euforia de ter sido pai pela primeira vez, estou lentamente de volta ao mundo da blogoesfera.
    O coffee and cigarettes foi até ao momento a minha desilusão do ano em termos de dvd. Há anos que ouço falar maravilhas do filme/documentário e depos de o encontrar a 5€ na mediamarkt decidi comprar.
    Meus amigos que valente bocejo! Confesso que adormeci ao fim de 4 ou 5 sketches. De facto o acto de tomar café, é um acto social, de partilha seja de trivialidade, metafísicas, existêncialismos e o café + tabaco funcionam como propulsor e quebra gelo ou se quiserem como desbloquedor de conversas como o tempo! Mas este documentário é muito mau e o pior é que gostando eu tanto de café + cigarros não me revi em nenhum dos sketches mas também tomando em consideração a qualidade da obra isso não é necessariamente mau.
    Quanto ao dvd, A cena do Benigni irritou-me por ser forçada e exagerada, abusurda mesmo! Ao Waits e o Iggy Pop achei piada ao desconforto, à conversa da treta, a paranoia do Bucemi em relação ao Elvis é mesmo à americano eheheheh
    Bem, quanto a mim é um dvd para reciclar assim que puder.

  10. June 28, 2008 1:23 pm

    Bem-(re)vindo Inf3rno e parabéns por seres papá😉

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: