Skip to content

O Gosto Solitário do Orvalho

March 18, 2008

matsuo_basho.gifO Haiku – poema breve de três versos – encontrou a sua expressão máxima em Matsuo Bashô (1644-1694). “O Gosto Solitário do Orvalho seguido de O Caminho Estreito”, organizado e traduzido por Jorge Sousa Braga e publicado pela Assírio&Alvim, é uma verdadeira relíquia: os Haikus de Bashô são de um limpidez e beleza que ao ler pensamos que alcançamos o nirvana.

Jorge Sousa Braga alerta logo na introdução: “O leitor deve despir-se completamente, antes de se debruçar sobre poemas como estes. Um haiku deve ler-se da mesma maneira que uma abelha se debruça sobre um grão de pólen ou uma brisa ligeira sacode uma folha de bambu.”

Na primeira parte do livro, os poemas de Bashô estão organizados segundo o ciclo das estações. “O Caminho Estreito” é um diário de viagem que o poeta japonês escreveu. Um livro para ler de madrugada, com o frio a cortar o corpo, e o sussurro da noite ainda presente.

Admirável aquele
cuja vida é um contínuo
relâmpago

Advertisements
2 Comments leave one →
  1. March 19, 2008 11:42 am

    Como é possível que eu não te veja há milhões de anos? 🙂
    Não pode ser, não pode…..
    Temos que tratar já disto!

  2. March 19, 2008 2:24 pm

    amiga, ainda este ano irei a Lisboa, prometo. e espero que antes do Verão 🙂
    beijinho

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: