Skip to content

Não morri

July 29, 2009

Estou viva, apaixonada, e a caminho de acabar uma tese de mestrado que nunca mais acaba, impedindo-me de escrever nas minhas casas e até, imagine-se, na dos outros. Mas, se estou moribunda para o absurdo, não o estou para a literatura, o cinema, a música e a vida que passam por mim todos os dias, às vezes, um de cada vez, apesar da literatura ser uma priviligiada porque está todos os dias presente, a música quase sempre, ou no máximo, dia sim, dia não, e o cinema é que, coitadinho, só de vez em quando, mas nos últimos tempos até já se instalou rotineiramente cá por casa e pelos cinemas de Lisboa, especialmente pelos do Medeia, que gosto mesmo muito. O que tenho para dizer é que se tenta aguentar da melhor maneira possível. Que isto de ter uma tese de mestrado é quase como andar com o diabo às costas. Irei escrevendo à medida que conseguir, um dia um poema, no outro uma música, depois qualquer coisas assim-assim, até regressar verdadeiramente, qual D. Sebastião, com uma carragada de posts, tantos, que à noite até vos irá doer o indicador de passarem o dia a actualizarem este vosso estimado blog.

Para já, deixo-vos com a imagem do primeiro disco dos The Cure que me tem ajudado a suportar a dor que advém da escrita de uma tese de mestrado.

cure_three

6 Comments leave one →
  1. July 30, 2009 10:32 am

    Força aí no mestrado!

  2. August 3, 2009 8:34 pm

    “Que isto de ter uma tese de mestrado é quase como andar com o diabo às costas”
    Atrever-me-ia a dizer que é tê-lo a fazer trampolim em cima da nossa cabeça… Irra!

    (ms parece-e k há muitas novidades por bandas da capital… hum, hum!)

  3. August 3, 2009 9:26 pm

    quando acabarmos esta porra vens cá passar uns dias, combinado?

  4. Marly permalink
    August 6, 2009 10:01 pm

    Duas coisinhas a dizer:
    1) esmiúça lá essa história de estar apaixonada!
    2) gostei de não ser convidada para ir passar uns dias à capital.. buááá. Fica uma pessoa sem computador nem Internet uns dias e logo percebe os malabarismos q s fazem nas nossas costas… Mau Mau Maria!!!😛

  5. August 18, 2009 10:42 am

    … a mesma sensação… o mesmo diabo às costas até à liberdade…

    boas escritas
    🙂

  6. katiekeane permalink
    August 26, 2009 11:33 am

    Olá Eduarda, lembraste de mim?
    Gostei de saber que ainda andas aí para as curvas. As coisas de facto devem ter mudado muito, eu fiz o meu relatório de estágio numa semana e fiquei com 17. Mas pronto tese de mestrado é diferente🙂 espero que corra bem e que acabe logo para te deixar sossegada. Que tal Lisbon?
    ´Beijos

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: