Skip to content

É preciso um dicionário para ler António Lobo Antunes?

February 26, 2008

É. “Maria Alzira Seixo e a sua equipa já terminaram, e vão entregar à editora, a Imprensa Nacional/Casa da Moeda, o Dicionário da Obra de António Lobo Antunes, o primeiro do género sobre um escritor vivo português”, lê-se na última edição do JL.

Pessoalmente, não gosto de Lobo Antunes (dos livros, que da personagem adoro). Mas se algum dia, por qualquer motivo, me aventurar pelas páginas do velho rezingão (digo isto com carinho, atenção) não me irei esquecer do dicionário.

7 Comments leave one →
  1. February 26, 2008 11:16 pm

    António Lobo Antunes vê-se, desse modo, equiparado a Thomas Pynchon. Este último, necessita de dicionários específicos por obra. Mas o dicionário mais importante é o do leitor, aquele que decifra cada uma das suas interpretações de um livro, ajustanda cada pensamento, único, a um universo mais lato que é o da confrontação de opiniões e ideias sobre o acto criativo que esteve na sua génese. Daí nasce a grande magia da literatura: a multiplicidade de ramificações que uma única obra adquire.

  2. February 27, 2008 11:18 am

    Exactamente. Concordo em absoluto contigo. Cada leitura e interpretação de uma obra é única. E a piada é deixar isso nas mãos dos leitores. Um livro que não tenha múltiplas janelas não presta.

  3. February 27, 2008 12:33 pm

    quando decidi pegar em Boa Tarde às Coisas Aqui em Baixo, em 2003, descobri exactamente o contrário. que o Lobo era escritor para ser descoberto livro a livro, do início ao fim e não aos trambolhões. Fui à Memória de Elefante, depois a Os Cus de Judas. e garanto-te que é cronologicamente que o lerei, por muitas novidades que apareçam ainda – que me dão uma vontade…

    o meu leitmotiv foi não querer não gostar do Lobo. e quase acontecia. deixei as boas tardes a meio e entrei pela porta da frente. estou confortável para o chamar agora à minha estante de eleitos.

  4. February 27, 2008 4:53 pm

    uma vez tentei ler “Os Cus de Judas” e não gostei. outras, folheei alguns livros mais recentes. e nada, não bate cá dentro.

  5. February 27, 2008 5:26 pm

    Hummmm…não é tanto assim…não é preciso um dicionário, mas é uma escrita difícil e menos comum. “Os Cus de Judas” também não foi um livro de que gostasse, mas gostei de muitos outros que li….

  6. February 28, 2008 3:21 pm

    penso que o problema em Os Cus de Judas está em ultrapassar as primeiras 50 páginas. (e penso ainda que o escritor teve o mesmo problema.)

  7. February 29, 2008 6:23 pm

    Se calhar é mesmo isso, Hugo…confesso que
    não passei daí, ou melhor, um bocado antes…mas não penso o mesmo de grande parte dos outros livros…aliás, concordo com o que disseste…🙂

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: