Skip to content

‘quando eu morrer voltarei para buscar os instantes que não vivi junto do mar’

December 30, 2007
menina_grande.jpgDepois de Herberto Helder e Camilo Pessanha, a RTP2 passou ontem o último documentário dedicado a «nomes incontornáveis da literatura portuguesa». Sophia de Mello Breyner Andresen entrou-me pela casa adentro e deixou-me o mar na noite. Não vi o do Camilo Pessanha mas em relação a Herberto Helder este documentário foi mais bem conseguido. Também não se pode comparar as dificuldades de um ao outro: Herberto não tem nem quer ter biografia; no de Sophia temos o depoimento dos próprios filhos.
Fazer um documentário ou escrever sobre um dos grandes fica sempre, à partida, condenado. Nada que se filme, diga ou escreva será suficiente para fazer jus às obras que deixaram. Às vezes tentar escrever algo, por mais competências que se tenha, chega a ser ridículo. Que se pode dizer de Herberto Helder ou Sophia de Mello Breyer Andresen numa folha ou num filme de 60 minutos?
2 Comments leave one →
  1. Pedro Carvalho permalink
    January 4, 2008 7:17 am

    o suficiente para que se desperte novas atenções sobre eles nos espectadores?

  2. January 4, 2008 12:10 pm

    tudo o que se faz sabe sempre a pouco. e quem não se interessa por poesia muito dificilmente se passará a interessar depois dos documentários. mas quem já tem uma certa predisposição ou gosto pela literatura despertará, com certeza, nova atenção e olhar sobre estes autores. é aquela história do pretende-se atingir um novo público mas faz-se para os já convertidos.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: