Skip to content

100ª

November 10, 2007

centesima.jpg Vai abrir uma Fnac em Braga. Até oferecem um cheque no valor de 10 euros a quem aderir ao cartão cliente. Eu cá não me vendo. A Centésima Página continuará a ser a única livraria em Braga onde comprarei livros. Podem vir com cheques-vale, panfletos, enfim, uma boa estratégia de marketing, que eu não cedo. Até já distribuíram uns cartazes pela cidade que perguntam em jeito de provocação: ‘Fnackianos em Braga?‘ Não, obrigado. Quer dizer, não estou a dizer que nunca vou pôr os pés na Fnac. Geralmente até apresentam um bom cartaz cultural: uns concertos de bandas portuguesas menos conhecidas; ciclos de cinema gratuitos; sessões de autógrafos, etc. Até sou capaz de dar um saltinho, de vez em quando. Mas é nos pequenos projectos culturais que devemos investir. Não tanto para os ajudar a crescer monetariamente e fazer frente aos grandes. Nada disso. O lucro aqui não é o rei. Mas porque são feitos de uma aura que os outros nunca terão.

7 Comments leave one →
  1. November 11, 2007 3:50 am

    ora, portanto.

  2. November 11, 2007 3:20 pm

    Eu gosto da Fnac pela oferta, e por isso vou ser uma frequentadora assídua. :o)
    Há aqui algum ressentimento por causa da quase proposta de trabalho? hehehe
    Anyway…bom mesmo é se todos fizessem como fizeram os Radiohead com o “In Rainbows”!

  3. cláudia lomba permalink
    November 11, 2007 3:38 pm

    nem mais.

  4. November 11, 2007 3:43 pm

    não, Nathalia. é verdade que estive quase quase quase a ir trabalhar para lá. e se a oportunidade voltasse a surgir, iria. isto não quer dizer que comprasse lá os livros. seria apenas o meu local de trabalho. tudo o que quero, compro na 100ª, que apesar de não ter uma oferta tão vasta, podes sempre encomendar e aguardar. tento evitar as grandes superficies comerciais, as multinacionais e investir naquilo em que acredito, acho😉 ainda que, como diria a Bruna, sou uma ‘tesa’ e portanto nem as grande nem as pequenas lucram grande coisa comigo😦

  5. November 12, 2007 11:42 am

    eu também não.

  6. November 12, 2007 5:41 pm

    Pois, eu também não sou apreciadora de “grandes espaços”, menos ainda quando o assunto é tão sério quanto livros e música!! Confesso que a FNAC é um “hipermercado” de livros, música e afins e não gosto, não aprecio essa “massificação”. Todavia, acabo por muitas vezes ir lá, pois a grandes livrarias são muito fora de mão…mas o que eu faço, quase sempre, é cosultar online sites de livrarias e mandar vir pelo correio…assim não compro tanto…eheheheheh…

  7. Atirador Furtivo permalink
    December 2, 2007 3:25 am

    O hipermercado foi uma evolução em relação aos antigos minimercados? Creio que sim: maior diversidade, promoções especiais destinadas a certo tipo de cliente, redução do tempo dispendido, conforto, entre outras vantagens. É óbvio que na Fnac vais encontrar pessoas com quem não te cruzas em livrarias. Não vem daí mal ao mundo, no entanto. Podes sempre ter uma mundividência que não tens na Centésima Página😉

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: