Skip to content

partidas da vida

August 25, 2007

em média, o absurdo recebeu durantes as férias mais visitantes diários do que nas semanas anteriores, de intenso trabalho e dedicação.

8 Comments leave one →
  1. August 26, 2007 3:31 am

    Cara Eduarda estive muito tempo sem voltar cá… mas o technorati ou como é que aquilo se chama ao qaul acabei de aderir diz-me que tu tens um link para mim…o qual não vejo aqui nos teus links? Só queria perceber.
    Posso tratar por tu?… Saiu assim…

    Olha esse livro O cálice e a espada, também o comprei em portugues, e sei que é muito importante, mas pelo menos em portugues achei-o completamente intragável devido a uma terrível tradução – aliás até falei extensivamente com o editor… até tem palavras que não existem e tudo.

    Não consigo passar da pag.5. E isso é pena. A maioria de outras pessoas que o leriam, tam bém não o lerão pelo mesmo motivo.

    E tu que achaste?

    E quanto a este teu post…. eu bem sei o trabalho e dedicação que isto custa…

    Cumprimentos

  2. August 26, 2007 3:34 am

    Ah, e o meu blog de que estou a falar é outro diferente daquele que o meu nome agora liga: o link em questão
    é o
    http://www.ailhadosamores.wordpress.com

    Obrigada,
    cumprimentos

  3. August 26, 2007 10:42 am

    Olá Terpsichore E.M.,
    De facto não tenho no absurdo nenhum link para o teu blog, o qual nem sequer conhecia. Às vezes a referência no Technorati pode ser de alguma imagem que eu tenha colocado no meu blog a partir do Google Images. Imagem esta que estaria no teu blog.

    Quanto ao “Cálice e a Espada” a tradução não é grande coisa. Mas não acho assim tão intragável ao ponto de não conseguir ler. Como neste livro também não procuro propriamente literatura mas factos/conhecimento, não é complicado. Estou quase a acabá-lo. Escreverei depois a crítica. Acho que vale mesmo a pena ler, fazer esse esforço, apesar da tradução.

    beijinho,
    Eduarda

  4. August 26, 2007 12:07 pm

    Cara Eduarda
    Obrigada pela resposta. Não não é uma imagem… terá então a ver com as vezes que te visitei e que deixei um comentário (embora não tenha deixado link nenhum dessa vez, apenas ficou o meu nome). Pelos vistos eles ”gravaram” o nome, mas isso não costuma acontecer. É estranho; de qualquer forma é um detalhe que não importa nada. Apenas me interessou porque eu não conhecia ainda o Technocrat, e essas andanças.

    Quanto ao livro, sim para mim é intragável. Nesse aspecto, relembro Pessoa, que também não conseguia ler o espezinhar da nossa língua. (e que falou disso: é desse parágrafo que vem a tal famosa frase que tanto se repete sem dar atenção ao que ele, com ela, disse, ”a minha Pátria é a lingua portuguesa.” – hei-de colocá-la completa lá na Ilha dos Amores). Não se podem transmitir ideias certas, com erros de pensamento em cada frase, como tem esse livro.
    Por outro lado, a editora em questão já melhorou muito as traduções – e o senhor é aliás muito simpático.

    A solução será ler o livro no original…. e lutar por uma tradução como ele e o tema tão importante, merece. Pedi isso ao editor… mas é um círculo vicioso: o livro não vende… (Diz o editor que para sua própria surpresa…Pudera!…); por consequência também não se reedita, pois há muitos ainda…. e também muito menos permite a reedição de uma nova tradução, a nível fianceiro.

    Como vês, cara Eduarda, tudo isto faz parte do meu dar importância ao tema e ao livro….e fartei-me de fazer esforços… até disse ao editor algumas das tais ”frases intragáveis”, (se bem que isso seja contínuo), e palavras que não existem….Já foi há bastante tempo e já nem me lembro quais.

    A minha intenção, não é, obviamente, lutar aqui contigo, mas acrescentar uma verdade importante. E a questão se se podem transmitir boas ideias por meios estéticamente e linguisticamente errados, é muito pertinente. Já há muito que observei, que não. Ora isso é portanto um caminho longo e difícil de aprendizagem para a humanidade…

    Tendo eu toda a compreensão para a necessidade desse caminho. Assim, defendo esta questão, mas sem juízo dos bons esforços que se vão fazendo.

    Um beijinho para ti também.

    Terpsichore

  5. August 26, 2007 4:56 pm

    Olá Terpsichore,

    Não se trata de “lutar”. Creio que não andámos em guerra, não vejo motivos para isso. A oposição de ideias e posições é salutar, desde que cada um respeite a do outro.

    Assino por baixo tudo o que escreveste, destacando este parágrafo:
    “E a questão se se podem transmitir boas ideias por meios estéticamente e linguisticamente errados, é muito pertinente. Já há muito que observei, que não. Ora isso é portanto um caminho longo e difícil de aprendizagem para a humanidade…”

    Concordo em absoluto contigo mas como te disse eu consegui ler e avançar. As nossas sensibilidades linguísticas são naturalmente diferentes. Não estava à procura de encontrar poesia ou música para os ouvidos, para isso leio outros autores. Respeito o não quereres ou conseguires ler tal como me respeito a mim por conseguir. Também assino a ideia de que não é possível transmitir dados, conhecimentos, factos, com “erros de pensamento”. Detectei frases mal construídas, pontuação, palavras… mas nada que contradissesse ou colocasse em dúvida o que a autora queria transmitir. Não digo que não existam.

    A Via Óptima é uma editora pequena, com algumas dificuldades em sequer existir. Isto não justifica a má tradução mas acredito que neste momento o editor faz o melhor que consegue com o que tem. Se as circunstâncias fossem outras, tenho a certeza que faria ainda melhor.

    Se eu tivesse o livro original, não teria optado pela tradução mas como não arranjei forma de o obter e este foi oferecido, acabei por avançar.

    Se tiveres o livro em casa e puderes mostrar algumas passagens, agradecia.

    um abraço
    Eduarda

  6. katiekeane permalink
    August 26, 2007 10:34 pm

    Olá Eduarda, bom ver-te de volta😉
    Quero falar contigo, vê se apareces no msn. Beijinho

  7. August 27, 2007 5:30 pm

    Faxfavorrr de desculparrr mas que isso não sirva de desculpa para postar, postar, até que o blog lhe doa.
    No que me diz respeito só hito quando há postito (no reader).

    Vá, vá… 😀

  8. August 28, 2007 12:00 pm

    🙂

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: