Skip to content

há qualquer coisa

December 31, 2006

de poderosíssimo em In Absentia dos Porcupine Tree que me arrebata e ultrapassa. depois de o ter ouvido com atenção, há uma semana, nunca mais ouvi mais nada. e isto raramente acontece. muito raramente. In Absentia é perverso, tremendamente perverso. Na minha modesta interpretação Blackest eyes, Gravity eyelids, Prodigal, The creator has a mastertape e Strip the soul, contam a história de um serial killer/violador. as músicas são tão bonitas que se cria imediatamente um sentimento de empatia com o violador. o que é estranho. muito estranho. contudo, este não é um álbum conceptual: há músicas, como Heartattack in a layby ou The sound of Muzak, que não seguem a história principal. em fila de espera para audição está Deadwing mas primeiro os ouvidos têm de ficar gastos de In Absentia. se tal for possível.

Sítio Oficial | MySpace

Advertisements
One Comment leave one →
  1. December 31, 2006 2:23 pm

    Acho que o ‘Deadwing’ não te vai prender tanto. (cá estou eu de dedos paternalistas…) Talvez se seguires a história do senhor Wilson tenhas uma prenda maior. 😉

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: