Skip to content

Cristianismo (II)

July 5, 2006

Como prometido aqui ficam alguns extractos da entrevista que León Rozitchner concedeu à revista Pública no último domingo. 

«O cristianismo inaugurou a violência e a opressão tal como existem hoje no mundo. As Cruzadas foram um acto de violência sem precedentes na história da humanidade. Antes do cristianismo, não havia anti-semitismo, nunca houve discriminação nem perseguição religiosa, pelo menos de uma forma organizada e sistemática. Os muçulmanos nunca foram anticristãos nem anti-semitas. O cristianismo está por trás de todas as formas de opressão que foram surgindo na História (…).  

Foi nas próprias abadias que se criaram as primeiras contas bancárias. O capitalismo é um produto do cristianismo.

Porque Cristo se tornou na figura simbólica de todas as estruturas da realidade. Símbolo do pai, símbolo do masculino e símbolo da aniquilação do corpo. 

 No cristianismo a morte não tem sentido. Estamos destinados a sobreviver. A morte é apenas uma passagem. Temos mesmo de perder esta vida para ganhar a outra, a mais verdadeira. No cristianismo há duas mortes. Para salvar a alma, é necessária a morte do corpo. Simbolicamente (a morte) significa que a vida, esta vida que temos e é a única, não tem valor nenhum. 

O cristianismo encarrega-se de adoptar tudo o que havia de pior no judaísmo e em várias outras religiões. Principalmente tudo o que tem a ver com a aniquilação do corpo e a predominância do masculino».

Advertisements
8 Comments leave one →
  1. Sylvie permalink
    July 5, 2006 4:01 pm

    Obrigada Eduarda!
    Mais uma vez vai-se falar do que nós já sabíamos de facto houve uma inquisição, houve as cruzadas. Não podemos esquecer estes actos horríveis para que nunca mais volte a acontecer.
    E que tal alguém falar da actualidade para variar? Denunciar o que está mau hoje em dia? Ainda existe muitas falhas devido a uma hierarquia e a leis que já não fazem sentido como por exemplo a recusa da discussão da aceitação da ordenação das mulheres? Ou as tomadas erradas de posições ou a falta de posição que a igreja toma!
    Uma vez pelo menos podia se falar do bem que fizeram as religiões, da solidariedade, da ajuda aos países subdesenvolvidos, das missões. Não preferem voltar ao passado e mais uma vez retomar erros que foram cometidos há séculos.
    Houve e há erros gravíssimos, porque ao contrário dos deuses as religiões são composta por homens, com defeitos e ambições.
    Ser cristão não implica ser diferente melhor nem pior que a única diferença é terem uma fé comum!
    Mas claro agora que conhecemos o inimigo numero um, a violência vai desaparecer do planeta. 

  2. July 5, 2006 4:14 pm

    Sylvie,

    Não se pode discutir o presente sem conhecer o passado. Tudo o que acontece hoje são efeitos do nosso passado. Por isso é que a História é tão importante… Não podes compreender o ordenamento das mulheres sem conheceres as raízes do problema: relação da Igreja com o Feminino.

    Não estou a dizer que ser cristão é o pior, pelo contrário, todas as religiões (mesmo todas) têm páginas sangrentas inscritas na sua história. Contudo, o cristianismo foi uma das que mais matou, pilhou, distorceu, falseou…

  3. July 5, 2006 10:04 pm

    Eduarda, penso que não será esse o verbo: não se pode (em primeira instância) perspectivar o presente (assim como o futuro) sem conhecer o passado. Só depois discutir. A dialética vem depois do conhecimento, ou quanto muito ao mesmo tempo, mas não antes.

  4. July 13, 2006 12:51 am

    Eu não acho que o capitalismo tenha sido inventado pelo cristianismo. Capitalismo e o comércio eram praticados antes de cristo. No livro do deuteronômio há várias leis que disciplinam o comércio, tratamento dos escravos, cobrança de dívidas etc.
    Na parte metafísica, acerca da vida, eu concordo, acho que no cristianismo não há um significado muito claro para o valor da vida humana, eis que muitos cristãos louvam a miséria , o sofrimento e toda sorte de indignidade humana como um caminho necessário para a vida no paraíso. Enfim, a vida em si, é um ato de rendição completa.
    Para mim, os livros de teólogos antigos, como Santo Agostinho, por exemplo, são um primor de preconceito e anti-semitismo.

  5. July 25, 2006 10:07 pm

    Já existiam formas de comércio e trocas anteriores ao cristianismo isso é óbvio, no entanto o “capitalismo” como expressão que domina o nosso quotidiano é fruto da mentalidade judaico-cristã e não somente cristã. Foram os judeus que começaram a prática do juro e da valorização da matéria. Para quem quiser saber mais sobre as origens do capitalismo recomenda-se “A ética protestante e o espírito capitalista” de Max Weber e “The Modern World-System, vol. I: Capitalist Agriculture and the Origins of the European World-Economy in the Sixteenth Century” de Immanuel Wallerstein (existe tradução em portugues)
    Diga-se que León Rozitchner é bastante reducionista na sua análise: a violência e a opressão fazem parte da história da humanidade e é ridiculo afirmar-se que foi o cristianismo a inaugurar tais vertices. Aliás nem se pode sequer dizer que tal epíteto seja exclusivo à tradição monoteísta, pois também algumas culturas politeistas praticavam tal configuração accionista.
    Alguns exemplos: Os egipicios(monoteístas) tinham uma sociedade de castas altamente repressora.
    Os judeus(politeístas) ostenciavamente perseguiram tribos monoteístas, de entre as quais os filisteus foram das mais massacradas.
    Os japoneses(monoteístas até ao sec XV) tinham uma estrutura feudal semelhante à europeia que se baseava( e parcialmente continua) no culto da morte e da honra.

  6. July 25, 2006 10:12 pm

    cometi um erro de base…
    assim é que é…
    Egipcios(politeistas)
    Judeus(monoteistas)
    Filisteus(politeistas)
    Japoneses(politeistas)

  7. January 24, 2011 2:56 am

    Ora, acho que estamos aqui a discutir “sexo dos anjos”. Não se deveria indagar sobre algo que não sabemos se existe ou não, a religião deveria ser subjetiva e não ser tranferida nem às pessoas dos filhos, aí sim, seria o fim de todas as besteiras passadas deuns para os outros e tidas como verdades.

  8. January 24, 2011 3:33 am

    E… quando eu disse anteriormente que não sabemos se existe ou não, na verdade, se porventura, existir algo que esteja de posse de poder, este algo, para o prevalecimento da lógica, deverá ser destituido de sentimento e tão somente de sabedoria, pois se fosse-lhe atribuido poder e sentimento, aí então…
    É… mas digo que se já houver… não seria nada parecido com o que aí está escrito pelos homens. E não existe nenhuma escrita que não tenha sido elaborada pela inteligência humana… de alguns… ….

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: